Últimas Notícias

Voltar

vencedor de concurso recebe diploma da EJ1

Data de criação: 25/9/2012 06:49:00

Tímida, a talentosa publicitária e vencedora do Concurso para a criação da Logomarca da Escola Judicial do TRT da 1ª Região foi apresentada nesta segunda-feira (24/9) aos servidores da EJ1. Etelma Almeida dos Santos, 42 anos, moradora de Rio das Ostras, na Região dos Lagos, recebeu das mãos do desembargador Alexandre Teixeira de Freitas Bastos Cunha, diretor da Unidade, o diploma de menção honrosa pela participação no certame, que teve início em 2010.

A publicitária recebendo os parabéns do diretor da EJ1. O reconhecimento do juiz André Gustavo Bittencourt Villela e do desembargador Gustavo Tadeu Alkmim, integrante da Comissão julgadora do Concurso A publicitária recebendo os parabéns do diretor da EJ1, desembargador Alexandre Bastos Cunha e juiz André Gustavo Bittencourt Villela.
No primeiro quadro, a publicitária recebendo os parabéns do diretor da EJ1, desembargador Alexandre Bastos Cunha e, na sequência, o reconhecimento do juiz André Gustavo Bittencourt Villela e do desembargador Gustavo Tadeu Alkmim, integrante da Comissão julgadora do Concurso  

A publicitária, que é servidora do Departamento de Marketing, ligado à Secretaria de Comunicação Social da prefeitura de Macaé, se considera uma sortuda. Com exceção do concurso que a tornou servidora do município macaense há dois anos e meio, ela nunca havia participado de outros. Incentivada por uma colega de trabalho e, depois de ter criado cinco figuras diferentes, resolveu enviar o trabalho no último dia e na última hora.

"Primeiro, achei muito bacana o concurso ser voltado ao público em geral, depois, não imaginava que o meu trabalho pudesse ser escolhido para representar a identificação visual de uma Escola Judicial. E devo isso à minha família, que ajudou a eleger o trabalho que acabei enviando", contou emocionada Etelma.

Logo Escola Judicial
A nova logomarca da Escola Judicial do TRT da 1ª Região

Para explicar o significado da criação, a autora justificou o uso de símbolos e cores ligados à educação e à Justiça. O papel e o lápis remetem ao ensino, pratos e uma balança, ao Judiciário. E, para reforçar o conceito, Etelma contou ter escolhido cores em que, de acordo com uma das teorias psicológicas aplicadas em Publicidade, o cinza representa a sabedoria, e o azul-escuro, a verdade e os valores tradicionais, resultando numa marca simples, porém sólida. Outro quesito levado em conta foram os tons e as cores que já são utilizados no site do TRT/RJ.

O diretor da Escola Judicial entregou o diploma à vencedora e chamou a atenção para a estreia da nova logomarca, impressa já no documento. "Está sendo uma alegria muito grande para nós este momento de modernização da identidade visual da Escola. O concurso para a escolha foi motivado pela alteração do nome da unidade, ocorrida pela Emenda Regimental Nº 14, de 13/1/10, quando a então "Escola de Magistratura" se tornou Escola Judicial do TRT da 1ª Região, atendendo à recomendação Nº 1/2009, da Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados do Trabalho", contou o desembargador Alexandre Bastos Cunha.

Etelma entre os magistrados
Etelma entre os magistrados

O procedimento interno foi iniciado em maio de 2010, porém o concurso só foi instituído pelo Ato Nº 95 de 21/11/11, com abertura do certame, por meio da publicação do Aviso de Licitação, em 30/1/2012.

Além do diploma, Etelma dos Santos recebeu um prêmio no valor de R$ 5 mil que, segundo a profissional de Comunicação, caiu como uma luva. "Esse dinheiro não poderia ter chegando num momento melhor! Consegui quitar a dívida do meu carro e agora vou virar o ano no azul!", revelou feliz Etelma.

A ESCOLHA DA VENCEDORA

Etelma dos Santos participou do concurso com o pseudônimo "OLGA BENÁRIO", já que os concorrentes não poderiam se identificar com nomes verdadeiros, e por ser fã da jovem militante. Ela concorreu com outros 59 trabalhos e dos 60 inscritos, apenas cinco foram para a fase final, por onde passaram por apreciação de magistrados e servidores. A Comissão Julgadora levou em consideração como critérios classificatórios o ineditismo do trabalho, a criatividade, originalidade e clareza do significado, comunicação visual da apresentação gráfica monocromática e policromática, simplicidade e facilidade de impressão na mídia e em papel, além da capacidade de destaque da logomarca em fundos brancos e escuros.

Logo AIC